24.8.08

Sempre a aprendizagem do sossego

Sempre a aprendizagem do sossego
a evidência enigmática do silêncio
não mais que um esboço a furtiva sombra
da cor futura a ínfima inscrição
do pólen

a concha de sangue a sombra de uma folha
o murmúrio de um delicado insecto
a confiança num segredo que é espaço
a adesão às linhas de uma pedra pura

um abrigo da terra a semelhança
uma sombra de vermelho ocre
a cintilação da matéria o puro sabor
de um fruto azul o natal letargo
dentro do lúmen

Sem comentários:

fotografia e selecção de poemas de João Silva